O Sabadão – Voos da morte no Brasil

Por Sérgio Leão

Entre tantas coisas ruins que vêm ocorrendo no nosso país, no início dessa semana tivemos a perda irreparável do jornalista Ricardo Boechat, em acidente aéreo, no rodoanel em São Paulo, quando regressava de Campinas, em um helicóptero, que para variar estava trabalhando de maneira irregular, sem permissão para transportes de passageiros. Voltando no tempo fiz uma pequena pesquisa sobre acidentes aéreos no Brasil e cheguei a conclusão de que é alarmante o número de pessoas que já perderam suas vidas em voos da morte, inclusive em apenas 11 anos , aconteceram 21 acidentes com estes tipos de aeronave que matou Boechat. Aliás, uma das mais comoventes notícias destes acidentes ocorreu em 1996, quando os Mamonas Assassinas em pleno auge do sucesso tiveram seus sonhos finalizados em um acidente aéreo na Serra da Cantareira, em São Paulo, deixando a nação estarrecida.

Os sinistros nos céus, quer no céu do Brasil ou em outros países, nos perseguem e nos fazem chorar constantemente as perdas de pessoas totalmente saudáveis e recentemente um outro acidente deixou o povo brasileiro sem chão, quando em 2016, o avião que levava a delegação da Chapecoense, caiu na Colômbia e quase todos os jogadores perderam suas vidas; o fato foi tão chocante que o time adversário, que disputaria um título continental, abriu mão da conquista e tornou a Chape, campeã da Copa Sul-americana daquele ano, mesmo sem o jogo ser realizado. Aqui mesmo em Pernambuco, o povo já experimentou a tristeza de um desses acidentes, quando no distante ano de 1970, artistas caruaruenses foram surpreendidos e morreram no Pará, deixando órfãos os seus fãs e familiares,sendo o sepultamento acompanhado por milhares de pessoas na cidade Caruaru, terra natal de Ludugero e Otrope.

E quem não se lembra do terrível acidente no Mato Grosso, em 2006, quando uma aeronave da Gol bateu na asa de um Legacy e caiu na mata matando todos os seus ocupantes? A famigerada ilha de Fernando de Noronha, já teve sua beleza manchada com sangue de passageiros em 2007, quando uma aeronave que iria para o Rio de janeiro, caiu no paradisíaco mar de Norinha; em 1982, um grave acidente na Serra da Aratanha, no Ceará , foi palco de um destes acidentes com dezenas de vitimas. Em 2007, no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, não conseguiu pousar e mesmo o piloto tentando arremeter, o avião chocou-se com um armazém e mais de 190 pessoas perderam suas vidas. Um outro acidente, também recente, ocasionou a trágica morte do ministro Teóri Zavascki, em 2007, sendo que este acidente teve o processo de investigação arquivado.

Porém diante de todos estes acidentes horríveis, outros tantos são ainda mais cruéis por terem tirado vidas de políticos brasileiros, e gerado muita desconfiança pelas formas como aconteceram, começando pelo presidente Castelo Branco, que teve sua vida ceifada o seu mandato interrompido em 1967, após o avião que viajava ter a cauda atingida por um caça da FAB. O grande e inesquecível senador pernambucano, Marcos Freire também perdeu a vida em acidente até hoje explicado sem muita convicção e recentemente a perda do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, forte candidato a presidente do Brasil, mas sua trajetória foi interrompida na cidade de Santos em São Paulo quando o avião que viajava teve problemas ao pousar e ao arremeter, caiu e todos morreram carbonizados, inclusive um senador do estado de Sergipe. Ulisses Guimarães, o Senhor Diretas, um político de rara honestidade que também perdeu a sua vida, até hoje não foi encontrado, embora todos os outros passageiros tenha sido, e também sua esposa Dona Nora Magalhães. Desta forma o Brasil vai contabilizando seus mortos e os pilotos vão conduzindo os voos da morte no Brasil.

Mercado de Farinha será reaberto nesta segunda-feira

Em recente reunião no gabinete da Prefeitura Municipal de Bezerros, entre o prefeito Severino Otávio Raposo Monteiro, Branquinho e os feirantes que comercializam no Mercado de Farinha, ficou definido que a reabertura do prédio será na próxima segunda feira, dia 18, as 07hs.  O mercado passou por uma ampla reforma e voltará a funcionar em dois expedientes, de segunda feira a sábado, com instalações que permitem uma maior comodidade para os feirantes e os clientes.

O Mercado de Farinha Sebastião Valdevino, foi totalmente reformado e além dos cômodos que já existiam ainda foram construídos banheiros e bancos de praças para os clientes e o telhado foi feito com telhas ecológicas. As instalações elétricas e hidráulicas foram também trocadas e modernizadas, e ainda recebeu uma nova pintura interna e externa, mantendo-se a arquitetura externa para conservação do casario da cidade. Os 26 boxes existentes foram devidamente padronizados tornando ambiente interno mais amplo e agradável, segundo informações de Paulo Venâncio, diretor do Departamento de Feiras e Mercados, órgão responsável pela manutenção do mercado.

Professores e alunos do CEEB participam de oficina de máscaras

As oficinas máscaras de papangus, iniciadas em 11 de fevereiro, continuam a todo vapor na Associação dos Artesãos de Bezerros (AAB), já tendo recebido mais de 100 pessoas, inclusive de outras cidades da região; nesta quinta-feira, dia 14, foi a vez dos professores e alunos do Centro de Educação Especial de Bezerros (CEEB), participarem das oficinas com 60 alunos fazendo e pintando suas próprias máscaras na sede da AAB, em dois turnos, manhã e tarde. Além dos alunos, os professores também aproveitaram e confeccionaram máscaras de papangus.

As oficinas seguem até o dia 22, e segundo nos informou o presidente da AAB, José Pedro Soares, já estão agendados outros grupos de alunos e professores, grupos de danças, universidades e turistas, que sempre vêm em busca da nossa cultura e buscam aprender a fazer o que há de mais importante no carnaval bezerrense: as máscaras de papangus. Os instrutores são todos artesãos bezerrenses da AAB e fora o presidente temos ainda: Josete Silva, Vítor Alves e Vânia Alves. Zé Pedro espera que esta ano sejam confeccionadas mais de 2 mil máscaras na sede da associação.

Produtores derramam leite em protesto contra baixa do preço

Vários produtores de leite realizaram um protesto nesta quarta-feira (13), na PE-218, no município de Bom Conselho, Agreste pernambucano. O ato foi contra o baixo preço da venda do produto.

Os manifestantes derramaram dezenas de litros de leite na rodovia para chamar atenção do Governo do Estado. A bacia leiteira de Pernambuco está em crise há quatro meses.

De acordo com os pecuaristas, a indústria está preferindo comprar leite em pó importado, inviabilizando a produção na região. Protestos também foram realizados na Paraíba e Alagoas.