MPF denuncia Paulo Câmara e Secretário de Saúde por improbidade administrativa

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o governador Paulo Câmara e o secretário estadual de Saúde, Iran Costa, por improbidade administrativa. De acordo com a procuradora Sílvia Regina Pontes Lopes, o governo não está informando os repasses de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) para organizações sociais, que administram hospitais e unidades de pronto atendimento.

Cálculos do Tribunal de Contas do Estado (TCE), citados no documento do MPF, mostram que os recursos passaram de R$ 144 milhões, em 2010, para mais de R$ 1,2 bilhões, em 2017. Para a procuradora, os dados deveriam estar nos portais de transparência da secretaria e do governo estadual.

Resposta

Caso seja aceita a denúncia, pode ser aplicada multa civil e as transferências voluntárias da União para Pernambuco podem ser suspensas. Em nota, o Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Saúde, informou que ainda não havia sido notificado, mas negou as alegações do Ministério Público Federal.

TV Jornal

Delegacia de São José do Egito deve fechar

Depois de não cumprir com o pagamento do aluguem do prédio onde funciona a Delegacia de polícia civil de Pernambuco em São José do Egito no sertão do estado. Caso semelhante aconteceu em Buíque, onde no início do ano passado o proprietário do imóvel chegou a colocar uma faixa em frente ao prédio que é de sua propriedade, em ambos os casos, o aluguel chegou a ficar cerca de um ano sem ser solucionado.

Ontem o delegado da circunscrição Paulo de Medeiros, recebeu um ofício onde informava a ordem de despejo. O proprietário chegou a ficar 12 meses sem receber o aluguel que apenas foi solucionado depois de uma ordem judicial.

Uma das promessas do Governador Eleito Paulo Câmara era solucionar problemas da ordem de segurança pública. Você ainda acredita nisso leitor?

Com saída do PSB, Paulo Alves traça planos para 2020

Uma fonte ligada ao advogado Paulo Alves, assegura que seu nome é dado como certo para concorrer as eleições municipais de 2020. Com um discurso mais afinado nas mudanças que o país vem passando com o presidente Jair Bolsonaro, Paulo tem sido contudente em suas conversas no combate a corrupção.

Com sua saída do PSB, ele acendeu uma luz de alerta aos governistas. Ja que pode militar sem o apoio do governo em seu projeto politico, sem ainda ligar toda a crise de rejeição que Paulo Câmara ja enfrenta. Alves tambem teria interpretado que nao teria forças para enfrentar na disputa interna do PSB o nome de Breno que é o candidato natural do partido.

Um ponto importante a se discutir é que ele não anunciou para que legenda deverá se filiar. Estrategicamente deverá observar o melhor cenário, algumas pessoas próximas tendem a aproxima-lo ao PSL, partido de Jair Bolsonaro. Uma vez que nos dois turnos, Paulo teria feito campanha abertamente para o presidente eleito.

Deputados de Pernambuco aprovam aumento de ICMS em vários produtos, exceto do diesel que teve redução

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou, em segunda e última votação, nesta quarta-feira (28), os projetos de lei que modificam o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). A primeira votação ocorreu na segunda-feira (26). (Veja vídeo acima)

Os projetos fazem parte de um pacote fiscal enviado em caráter de urgência pelo governador Paulo Câmara (PSB) aos deputados estaduais. O pacote proposto pelo governo do estado prevê a redução de 18% para 16% no ICMS do óleo diesel e o aumento de 2% no ICMS de vários produtos, entre eles:

Bebidas alcóolicas
Aguardentes
Refrigerantes
Água mineral em embalagem descartável
Bebidas isotônicas
Sacolas, copos e canudos plásticos
Veículos novos com preço acima de R$ 50 mil
Motocicletas acima de 250 cilindradas
Joias, pérolas, pedras preciosas e bijuterias
Etanol – combustível (álcool)

Os deputados também aprovaram a prorrogação, até dezembro de 2023, da tabela do IPVA. A alíquota desse imposto continua como está, podendo chegar a 4%, de acordo com o modelo do carro.

Dos 49 deputados estaduais, 29 participaram da votação. Cinco deles votaram conta o projeto: André Ferreira (PSC), Augusto César (PTB), Joel da Harpa (PP), José Humberto Cavalcanti (PTB) e Priscila Krause (DEM).

G1 Caruaru

Policial Jackson Medeiros pode ser candidato a vereador em Bezerros

Com a onda de militares entrando no cenário político, Bezerros deverá ter também nomes em defesa da classe de militares e da segurança pública. Já é dada como quase certo o nome do Soldado Jackson Medeiros, apesar de sempre gostar de política é a primeira vez que ele coloca seu nome em disputa para a Câmara de Vereadores de Bezerros.

Outros nomes já são especulados pelas pessoas que deverão concorrer às eleições. O nome do filho do vereador Neto de Valmir, Vando Dias, Rinaldo irmão de Renato, Professor Lucivaldo e ainda o de Wendel secretário de saúde completam os nomes mais cogitados para a vereança.

No cenário Militar Jackson deverá ser o único candidato da categoria, que pegará carona no discurso que o presidente Bolsonaro alavancou ao longo de sua trajetória.

Médicos brasileiros querem ficar nas capitais

Dos dez primeiros médicos brasileiros que se inscreveram nesta quarta-feira (21) para as 8.517 vagas deixadas pelos cubanos, cinco deles escolheram atuar em capitais e municípios de regiões metropolitanas.

Apenas um município escolhido é considerado de extrema pobreza. Outro está em área vulnerável e um terceiro em uma cidade com até 50 mil habitantes.

O Ministério da Saúde recebeu mais de 1 milhão de acessos simultâneos no momento da abertura das inscrições. Segundo a pasta, o número representa mais do que o dobro de médicos em atuação no país e pode ser considerado ataque cibernético.

E um grupo de médicos cubanos de Guarulhos se organizou para vender móveis e eletrodomésticos antes de deixarem o país. A página do Facebook Desapego Mais Médicos Cubanos foi criada por Ernesto Nascimento, que tinha dois anos quando foi preso e classificado como subversivo pela ditadura militar.

Blog do Magno

Prefeituras enfrentam dificuldades para pagar 13º

Prefeituras de Pernambuco estão passando aperto na hora de contabilizar os recursos para o pagamento do 13º salário dos servidores. Mais da metade ainda não sabe como vão fazer e alegam que os repasses do Fundo de Participação dos Municípios não estão sendo o suficiente. A medida para resolver é cortar gastos como reduzir o quadro de funcionários.

Pela Lei de Responsabilidade Fiscal, o 13º salário deve ser efetuado até o dia 20 de dezembro, porém, algumas Prefeituras ainda nem sequer pagaram o mês de outubro.

Embora a situação seja de alerta, o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco afirmou que os gestores devem honrar com o compromisso e pagar em tempo os vencimentos. Veja na reportagem da TV Jornal

Quase 2 milhões de pernambucanos serão afetados com a saída do Mais Médicos

O fim do acordo entre Brasil e Cuba para o programa Mais Médicos e a saída dos profissionais do país caribenho causa um impacto no tratamento de mais de 1,6 milhão de pernambucanos, especialmente no Sertão do estado. A afirmação é do presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota. No Brasil, são 28 milhões de desassistidos.

Em Pernambuco, há 414 médicos cubanos em atuação, segundo o Ministério da Saúde. Eles trabalham principalmente em áreas afastadas dos grandes centros. Segundo a Secretaria de Saúde do estado, os profissionais estão em 125 cidades e nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs).Prefeito da cidade de Afogados da Ingazeira, distante 386 quilômetros do Recife, Patriota, que é do PSB, declara que cidades dos sertões do Pajeú e do Araripe ficam praticamente sem assistência de saúde preventiva com a retirada dos cubanos.

No Sertão do Pajeú, de acordo com o gestor, a proporção é de 22 profissionais de Cuba para três ou quatro brasileiros. “Cada um desses profissionais atende uma média de 4 mil pessoas. Portanto, em uma área com 180 mil habitantes, cerca de 88 mil pessoas ficarão sem assistência médica”, afirmou.

De acordo com Patriota, o cálculo de pessoas afetadas pela saída dos médicos é feito a partir da quantidade de pacientes atendidos por cada Unidade de Saúde da Família (USF), multiplicada pelo número de médicos. Em média, segundo ele, as equipes, que têm um médico cada, atendem até 4 mil pessoas.O presidente da Amupe afirma que no Sertão do Araripe, o problema pode ser até mais grave. “Temos cidades, como Verdejante, que contam basicamente com os médicos cubanos. A cidade pode ficar sem ninguém”, observou.Ainda segundo Patriota, outro problema nas regiões em que há poucos médicos é o acúmulo de funções desempenhadas pelos profissionais brasileiros, que mantêm vínculo de trabalho com mais de uma empresa.

“Os médicos cubanos têm um foco na prevenção. A saúde da família é uma especialidade que tem cada vez menos profissionais. O médico brasileiro vai ao interior para a residência, passa de seis meses a um ano e vai embora, atrás de uma nova especialidade. Além disso, muitos acumulam contratos e plantões para complementar a renda”, afirma Patriota.

G1