“Tem gente que só pensa no voto pra se eleger e não pra trabalhar”, diz Marcone

No dia em que completa 61 anos de idade, o médico e ex Prefeito Marcone Borba declarou que não está no momento de falar de política. Segundo ele, os mandatos foram criados para trabalhar pela população e não para pedir votos.

Borba foi enfático ao dizer que não colocaria um mandato em jogo pra pedir votos antes do tempo. “A época de pedir votos é no período eleitoral, até mesmo pra estar dizendo que quer ser isso ou aquilo. Tem gente que só pensa no voto pra se eleger e não para trabalhar”, falou.

Ainda na sua declaração, Marcone deixou claro que o momento é pra fazer pelo povo. “Eu não sou de estar olhando as redes sociais, até porque meu tempo não permite muito isso, mas quando vejo e me deparo com fulano ou sicrano já falando de política, quer é pré candidato a isso ou aquilo eu me pergunto se ele pensa que o povo é besta. A eleição é ano que vem, agora a prioridade é trabalhar, apenas”, conclui.

Sobre a gestão municipal ele declarou que o país passa por dificuldades e os municípios estão pagando o preço com cortes severos. “Todos os municípios passam por dificuldades, aqui não é diferente. A prefeitura tem se ajustado pra conseguir manter os serviços. Sobre política, eu só tenho uma coisa a dizer: apenas os abutres ficam tentando pedir votos antes do tempo”.

O Sabadão – Um povo sempre a mercê do pecado, da obsessão e da corrupção

Por Sérgio Leão

Nada é mais fácil do que abrir a boca e entregar tudo a Deus, até mesmo de bocas sujas , habituadas ao escárnio, a hipocrisia e outras mazelas que só agradam mesmo aos espíritos imundos que nos cercam em todos os momentos, encarnados em pessoas que vivem sob o comando do pecado mortal, da mentira e principalmente da canalhice. O Brasil é uma nação onde os obsessores escolhem para viverem, em razão de ter um povo de poucas qualidades espirituais, milhares de charlatões se passando por pregadores e milagreiros, usando o Santo nome do Senhor, para se apoderarem de quantias incalculáveis, em detrimento dos milhões de pecadores aflitos que os buscam, mas vivem na mais absoluta miséria, tanto financeira como espiritual. A esperança do povo de bem de uma nação pecadora como a nossa, vai se esvaindo, a medida que se prolifera a safadeza, em todos os níveis; ora, como podemos achar que um país onde acontecem manifestações bandidas em larga escala, possa ser alvo da piedade de Deus? Será que a Bíblia Sagrada, não é uma testemunha de que o Criador, mesmo sendo piedoso e misericordioso, já mostrou a sua decepção com os humanos, inclusive confessando a Noé o seu arrependimento em ter-nos criado? E o que dizer de Sodoma e Gomorra, onde se houvesse um só justo seriam poupadas do fogo do céu? Tanto no episódio da arca como no das duas cidades, o povo já não tinha mais condições de receber a tolerância de Deus, devido a desenfreada hipocrisia e a maldade, praticada normalmente, como ocorre hoje no país da corrupção, do futebol e do carnaval.

Vivemos sob a incerteza e a dúvida! Somos uma raça fácil de ser manipulada por corruptos, já que formamos uma imensidão de milhões de pessoas sem nada na vida, bastando apenas uma esmola para exaltarmos picaretas da pior espécie; e assim vamos afundando cada dia mais celeremente, e além de nada sermos nem termos, ainda perambulamos nos caminhos da falta de intelectualidade e de cultura. Vagamos de um lado para outro, sem termos direitos básicos assegurados e com salários tão vergonhosos, que mal nos permite adquirir o tradicional feijão com arroz do dia a dia. Milhões de estrangeiros vêm nos assistir nas passarelas do carnaval, onde vivemos dias pecaminosos, com exibições de pessoas nuas, outras vestidas de demônios, além do exagerado uso de sexo explícito e uso de drogas lícitas e ilícitas. Em manifestações LGBT, imagens sacras são destruídas em praças públicas, mulheres se masturbam com crucifixos e até personagens interpretam Jesus Cristo beijando na boca de belzebu! Movimentos ativistas reúnem o enxofre da sociedade e desta forma a obsessão se apodera efetivamente deste país já definitivamente envolto por espíritos imundos, encarnados em corpos trajando finos ternos ou simplesmente em maltrapilhos, afinal somos a nação mais pecadora e mais corrupta, um perfeito ambiente para se transformar em um umbral perfeito aqui na terra.

Três foram presos após assaltar estabelecimento comercial em Bezerros, um deles foi baleado na troca de tiros com a PM

Policiais militares de Bezerros realizavam rondas pelas ruas da cidade quando receberam informações de possíveis disparos de arma de fogo em um bar da cidade. Chegando ao local, Bar do Peixe, no bairro Nossa Senhora Aparecida, constaram o fato. Três elementos armados fizeram assalto ao bar e atiraram contra uma das vítimas.

Nesse momento, uma outra vitima acompanhou os bandidos, sem eles perceberem, e denunciou a rota de fuga dos marginais: A BR 232 sentido Caruaru. A ROCAM Bezerros e GT 4310 se comunicaram e juntos abordaram o automóvel denunciado. Um dos bandidos disparou contra o efetivo policial, no qual revidou de pronto a injusta agressão atingindo um dos indivíduos. De imediato o efetivo prestou socorro ao elemento baleado e fez a prisão dos outros dois elementos, onde os mesmos estariam com vários objetos roubados das vítimas que estavam no bar. Os bandidos foram identificados por Felipe Leal da Silva, Leandro José de Moura e Gleivison Fernando dos Santos, todos oriundos de Caruaru.

Diante dos fatos a ocorrência foi conduzida até a delegacia de Caruaru, enquanto o bandido baleado foi transferido até o Hospital da Restauração em Recife. Com o trio, a polícia apreendeu: 05 celulares, 01 Revolver cal. 38, 01 Revolver cal. 32, 03 Relogios é R$ 355,25 em espécie, além de vários outros pertences pessoais. O trio responderá por tentativa de latrocínio, roubo e tentativa de homicídio.

Efetivo: SD. Joseilsso, SD. D. Filipe , SD. Alen, CB Mota e SD Leandro

Bezerros 24h

Em 30 dias Breno enfrenta desafios e colocou ritmo diferenciado na gestão

A cidade de Bezerros viu um dos seus episódios políticos mais inusitados os últimos anos. Acostumada com ocasiões atípicas em gestões, muitas vezes trágicas ou com envolvimentos judiciais, dessa vez o fato se deu depois da renúncia do ex-prefeito Branquinho deixando o comando da cidade nas mãos do vice, Breno Borba que assumiu no dia 02 de maio.

Branquinho deixa a cena política de Bezerros depois de seis anos para gerir a ARPE no Governo do Estado. Desde então, Breno, que até o momento teria assumido a prefeitura por algumas vezes, ficou definitivamente no cargo com mandato até dezembro de 2020. De lá pra cá, já se passaram 30 dias e o que mudou no cenário político e administrativo da cidade?

É fato que Branquinho tenha se desgastado no cargo devido a inúmeros problemas que enfrentou, desde crises financeiras que nunca foram vistas em Pernambuco, até a formação alianças políticas locais que não agradaram “gregos nem troianos”, causando mal-estar em alguns setores da gestão municipal. Passado à parte, Breno Borba chegou com a missão de desatar alguns nós e alguns deles bem entrelaçados.

O primeiro deles foi agravado com o bloqueio do Fundo de Participação do Município (FPM) após a constatação de irregularidades no ano de 2016 na pasta da saúde. Breno enfrentou esse desafio indo até Brasília no Ministério da Saúde, precisou ir na justiça para reaver a verba bloqueada e assim conseguiu em poucos dias. Montou um secretariado que agregou nomes produtivos para cidade, como também relocou outros para pastas de maior execução e articulação.

Breno também conseguiu resgatar eventos importantes como a festa de emancipação política. Reuniu parceiros e promoveu um evento em conjunto com empresas e artistas que presentearam a cidade. Ainda na área de eventos, ele inovou apostando no diferencial para o São João de Bezerros. Desfocando um pouco a Serra Negra e dando holofotes também para os bairros, prestigiando comunidades e resgatando o São João de rua da cidade. O lançamento dos festejos, ocorrido nesta sexta-feira (31), mostrou a ousadia da equipe em diferenciar um evento já consolidado no calendário junino de Pernambuco.

Mostrando articulação política, Breno também garantiu através do deputado Danilo Cabral duas emendas que vão beneficiar Bezerros, uma deles para a compra de uma viatura que vai reforçar a Guarda Municipal e outra para uma ambulância. O anúncio foi feito pelo próprio deputado na página do facebook.

Nas redes sociais Breno apareceu com mais destaque. Não precisando usar “moletas” no nome do pai, o ex-prefeito Marcone Borba que hoje é o principal nome político de Bezerros, ele tem se destacado pelo carisma e simplicidade, tanto no lado pessoal como nas ações como gestor. Na primeira semana na Prefeitura, reuniu-se com associações, visitou bairros, atendeu solicitações de moradores e tem mantido a tônica em dizer que não pode fazer tudo, mas vai fazer o que pode.

Breno ainda tem ásperos desafios para enfrentar, um deles é a crise econômica e o enxugamento da folha que lhe foi entregue bem acima do recomendado pelo Tribunal de Contas de Pernambuco. Há também que lidar com insatisfações de setores do legislativo que já declararam fazer oposição à Prefeitura usando inclusive meios de comunicação no bem conhecido bordão do “quanto pior melhor”.

Ainda falando em legislativo, esse foi o primeiro setor que Breno se dirigiu em momentos de dificuldades nesses 30 dias, deixando claro que quer jogar na transparência, doa a quem doer. Apesar de ainda jovem, tem mostrado respeito e exigiu que da mesma forma fosse tratado.