Famoso por minimizar a vacina, morre Olavo de Carvalho por complicações da Covid-19

O escritor e guru bolsonarista Olavo de Carvalho morreu nesta segunda-feira (24) aos 74 anos nos Estados Unidos. A informação foi confirmada em nota pela família postada no perfil dele nas redes sociais. A causa da morte não foi informada.

Olavo de Carvalho deixa esposa, oito filhos e 18 netos. Segundo a nota, ele estava internado num hospital da região de Richmond, no estado americano da Virgínia.
O escritor vinha enfrentando problemas de saúde, inclusive havia suspendido as aulas de seu curso online após ser infectado com o novo coronavírus no dia 16. Ele costumava minimizar a pandemia e se manifestava contra a vacina.

Na nota, “a família agradece a todos os amigos as mensagens de solidariedade e pede orações pela alma do professor”.

Gasolina sobe mais uma vez

Os preços médios da gasolina e do diesel avançaram nos postos do país na semana passada, após reajuste feito pela Petrobras, segundo levantamento divulgado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Segundo a estatal, o preço médio de venda da gasolina para as distribuidoras passou de R$ 3,09 para R$ 3,24 por litro, o que representa um aumento de 4,85%.

O valor do diesel subiu de R$ 3,34 para R$ 3,61 por litro, alta de 8,08%.

O último ajuste nos preços foi realizado em dezembro do ano passado, quando a Petrobras promoveu uma redução no valor da gasolina de 3,13%. Foi a primeira queda desde 12 de junho.

Do g1

Morre taxista que sofreu acidente em Bezerros

Redes sociais lamentam a morte de Leandro Taxista. Ele estava internado devido a um acidente de moto na semana passada. Por causa da gravidade dos ferimentos, Leandro esteve na UTI num hospital de Recife, mas não resistiu e veio a óbito neste domingo.

Muito conhecido, Leandro era querido por colegas de trabalho, amigos e desportistas que sempre acompanharam a vida dele nas peladas de fim de semana.
O Bezerros Agora lamenta o falecimento e externa o sentimento de pesar aos familiares e amigos.

Segundo Fiocruz, Janeiro tem seis vezes mais casos de Covid ante dezembro

Os primeiros quinze dias do ano registraram um aumento significativo no número de casos de covid-19 no Brasil, segundo novo Boletim do Observatório Covid 19 da Fiocruz. De acordo com o levantamento, foram, em média, 49 mil novos registros por dia. Esse número equivale a seis vezes o observado no início de dezembro do ano passado, cerca de oito mil. O aumento de mortes, porém, não acompanhou o crescimento dos casos e permaneceu reduzido.

Mesmo considerando que parte dos novos casos se refere a registros retidos nos sistemas SUS-Notifica e Sivep-Gripe, por conta do ataque hacker ao Ministério da Saúde, o predomínio da variante Ômicron mostra uma evidente tendência de aumento da transmissão da doença, segundo a Fiocruz. Esse movimento acelerado do número de casos já havia sido observado na Europa e mais recentemente, na Argentina e no Uruguai.

Em média, foram registrados, no Brasil, 130 óbitos diários nas duas primeiras semanas epidemiológicas de 2022 ( de 2 a 15 de janeiro). É um ligeiro aumento em relação ao início de dezembro de 2021. A redução da gravidade dos casos, segundo os especialistas do observatório, está diretamente relacionada à alta cobertura vacinal. Em países onde a cobertura ainda é baixa a letalidade alta está mantida.