Coluna Politicando

A nossa opinião muitas vezes causa impacto, como sempre digo aos amigos que me conhece política é arte de posicionamento, é a forma que o ser humano possui para fazer o bem sem olhar a quem. Isso é politicar, se um dia errar terei humildade de me consertar e dizer que errei. Aprendi isso com a educação que meus pais me deram, mas se tiver certo, eu sigo cumprindo com a obrigação de ajudar as pessoas com minha opinião. Só pra concluir ninguém é obrigado a concordar!!! Vamos politicando mais um domingo!!!

1. Fim das coligações – Com a nova regra eleitoral, que acabou com as coligações proporcionais (vereadores). Onde diversos partidos se juntavam e fazia apenas um para somar os votos, as eleições de 2020 traz a novidade que os partidos precisam estar atentos para filiar possíveis candidatos, devendo criar seu grupo sozinhos. Em Bezerros cada órgão partidário podem lançar até 30 candidatos, devendo ainda cumprir e garantir 9 mulheres nesse número (30%). Essa candidatura “feminina”, precisa ser de fato real, acabando nomes que seriam caracterizados inclusive como “laranjas. Sobre pena de que a chapa possa ser cassada, por exemplo: se alguma dessas mulheres apenas lançarem nomes e não obter votos, terão que se explicar a Justiça Eleitoral. O bom disso, é manter a presença da mulher na política.

2. Poucos partidos – Com a nova regra, acaba-se a figura do partido de aluguel, é uma prática que acontece em todo lugar do Brasil. Onde lideranças juntam nomes de candidatos e literalmente “vende”, o apoio ao prefeito ou a unificação em outro partido. O brasileiro é excelente em criar mecanismos que buscam obter vantagens, segundo os historiadores, essa é a herança que os portugueses trouxeram e nos deram. Para concluir: “ou se organiza com brevidade ou ficarão de fora do processo eleitoral”.

3. Candidaturas de vereadores – Nas eleições 2020 o prefeito Breno deve obter entre três e quatro partidos, já a oposição não conseguirá juntar mais que dois. Haja visto, que o número de candidatos a vereadores conforme a regra, somaria aí noventa a cento vinte Breno Borba, e 30 a 60 a oposição, claro se as chapas forem todas completas, devendo ser vinte e um homens e nove mulheres. Evidente entender que esses números são apenas projeções, dificilmente um dos partidos terá a capacidade de unir tanta gente. Quem pode se aproximar dessa realidade é o PSB, partido do prefeito Breno Borba.

4. Serra Negra nosso cartão Postal – A prefeitura de Bezerros, precisa se organizar no sentido de ter olhos para a Serra Negra fora do período de festas. Essa semana o “matuto Manoel Melo”, como gosta de ser chamado, fez um vídeo que ganhou repercussão e que merece destaque. No vídeo é possível ver diversos trechos que estão com buracos na pavimentação de acesso ao nosso cartão postal. É bom lembrar que a Serra não movimenta a economia da cidade apenas em período junino, por lá é possível ver grande movimentação em diversos fins de semana ao longo do ano. É preciso dar atenção a esse fato!!!

5. Investimento em Educação – O prefeito Breno ao lado do Secretário de Educação Claudemir, tem cumprido uma agenda rigorosa nas escolas, participando de diversas atividades e ouvindo as reivindicações existentes. É louvável acrescentar que a prefeitura deve se organizar mais no quesito de pagamento, embora esteja numa crise que parace não tem fim, e é real em todo país. Breno precisa melhorar a sua imagem diante dos professores. Porém cabe destacar que ele tem se esforçado e consegue manter uma qualidade na merenda escolar, e ambientes propícios para a comunidade educativa. A prova disso é a entrega do antigo Fórum para a Prefeitura. Breno visitou as dependências e ao lado de Claudemir decidiu levar a Escola Getúlio Vargas para o local, tudo isso acontecerá evidentemente após uma reforma.

6. Agência de Trabalho com novo nome – Já algum tempo que foi nomeado o diretor da Agência de trabalho de Bezerros Othon Monteiro, filho do ex – vice prefeito Birinha (irmão de Branquinho). Thon é de uma capacidade grandiosa. Cabe destacar que a indicação do seu nome partiu do prefeito Breno, sobre o comando do Deputado Estadual Waldemar Borges. A propósito Waldemar destinou emenda parlamentar para a conclusão do estádio municipal. Inclusive a licitação para a conclusão da obra, deve acontecer no mês de Dezembro.

7. Liderança governamental na câmara – O vereador Junior Carvalho fez essa semana um dos melhores discursos em seu tempo permitido do grande expediente. Junior com auto controle, defendeu a gestão e mostrou que a casa legislativa precisa acabar com tentativas de difamar a imagem do prefeito Breno Borba. “Precisamos acabar com a tentativa de mostrar o que não existe na gestão, se é ilegal os atos denunciem no Ministério Público, parem de mostrar inverdades contra o prefeito”, disse Carvalho. O fato se deu após denúncia de que um funcionário estaria recebendo sem trabalhar, faltou dizer que esse funcionário passou apenas um mês em serviço, e recebeu por empenho, em seguida foi demitido.

8. Nome Evangélico na política – Quem vem realizando um trabalho de bastidores na sua igreja é o ex-vereador Elissandro. Sem aparecer demais e com postura ética e de auto controle, Sandro deverá enfrentar as eleições do próximo ano sozinho no meio dos evangélicos. É a oportunidade que as lideranças religiosas possuem de devolver o mandato a essa pessoa que além de representar bem sua igreja, possui um currículo de integridade e de sabedoria. Elissandro desenvolve um bom trabalho na área de Saúde e se destaca pela simplicidade que sempre possuiu.

9. Contas Rejeitadas dos candidatos da Terra – O Tribunal Regional Eleitoral divulgou essa semana o resultado de julgamento da prestação de contas dos três candidatos a deputado estadual Bezerrense no último pleito. Tiveram as contas rejeitadas Lucielle Laurentino (DEM), Gabeira (PP) e Neguinho de Israel (PDT), evidente que cabe recurso, porém o feito agora tem que ser protocolado no Tribunal Superior Eleitoral. O ato da rejeição de contas, não quer dizer que praticaram atos ilícitos nas eleições, mas não atentaram a forma de regras eleitorais existentes. Algumas contas na eleição municipal por exemplo, foram rejeitadas ou não prestadas, e isso tornará os nomes inelegíveis para eleição de 2020.

10. O papel dos ex-prefeitos e a junção de grupo político, tem influência ou não nas eleições? Maru, Samuel, Bete de Dael e Branquinho são personagens vivos que não deixaram a política sair de dentro de si, embora que de longe. O fato disso acontecer é que eles já tiveram a experiência de serem prefeitos, e sabem que suas imagens vinculadas a qualquer candidato, detém peso de grupo político. Vamos nos aprofundar mais sobre isso na próxima semana.

Facebook Twitter Email