O Sabadão – Bebuns em festa

Por Sérgio Leão

O decreto do governo do estado de Pernambuco, que autoriza a reabertura de bares e restaurantes para a próxima segunda feira, está sendo efusivamente comemorado por proprietários deste ramo comercial, que há mais de 04 meses vêm enfrentado um enorme prejuízo, em razão do decreto de quarentena e isolamento social do início da pandemia COVID 19. Mas esta comemoração pode ser motivo de muitas lágrimas futuramente, pois os frequentadores destes ambientes não serão responsáveis a ponto de obedecerem as medidas restritivas impostas no decreto, fato já verificado em outros países e estados do Brasil, onde inúmeros problemas  vem surgindo causados pela desobediência popular, tendo inclusive causado agressões verbais e físicas contra os funcionários de linha de frente responsáveis pela fiscalização para o irrestrito cumprimento das restrições. No entanto os frequentadores já estão comemorando e até preparando uma volta “triunfal” a estes locais que nada têm de essencial, especialmente os apreciadores de uma boa farra, obrigados a beberem em suas casas ou escondidos em bares abertos a meia porta; só se ouvem os comentários empolgados dos bebuns brasileiros, adeptos das mesas de bares, onde costumam extravasarem o estresse causado no dia a dia. Sendo eu também um destes frequentadores, não nego está ansioso para rever os amigos de mesas de bares e restaurantes para curtirmos bons papos e boas risadas coisas habituais nestes ambientes, onde também reinam a falsidade e a gastança inútil, embora nos proporcione prazeres momentâneos, o que não costuma acontecer no nosso cotidiano.

Em meu imaginário já posso vislumbrar a demanda da galera e a chiadeira dos que chegarem atrasados, pois a frequência não poderá ultrapassar os 50% da capacidade dos estabelecimentos, uma das exigências contidas no decreto governamental. Há quem justifique a abertura dos bares e restaurantes devido a estas exigências, porém eu não acredito que após alguns goles de bebidas destiladas e loirinhas geladas, a galera vá se comportar diferente da vida inteira de bebedeiras. A empolgação fará com que o distanciamento social se transforme em apertos de mãos, abraços e até beijos, e isso é inegável e até os mais otimistas sabem que a realidade nas mesas de bares é sempre assim, pois nem a ciência contesta esta situação que o álcool nos impõe quando ultrapassamos os limites. Outro fato irrefutável é a desobediência com relação ao uso de máscaras, ou será que existe quem pense que vamos entrar de máscaras e só tirarmos quando formos beber, no caso dos bebuns? Ora, vamos entrar de máscaras e só vamos voltar a usá-las no final da bebedeira, e olhe lá! Será uma grande oportunidade para o coronavirus se disseminar rapidamente e levar o contágio para dentro das residências, onde os que estão obedecendo a quarentena serão alvos fáceis de infecção o que certamente causará o aumento do colapso na saúde do país, embora o decreto já esteja sendo um  motivo de grande festa para os bebuns de todos os lugares.

Facebook Twitter Email