Plano de Bolsonaro prioriza vacinar detentos contra a Covid-19 antes de policiais

A medida que aparece no plano de imunização do Ministério da Saúde, revoltou secretários de segurança dos Estados. Presos aparecem antes de policiais e agentes de segurança carcerária para receber a vacinação.

Porém, o plano do Governo Federal não deve ser seguido pelos gestores estaduais. “Aqui no estado nenhum preso vai vacinar antes. Não existe isso. Aqui são 20 mil servidores da força, foram 32 mortes por Covid-19. Temos aqui cerca de 23 mil presos. Foram 5 mortes. Nem estatisticamente isso se justifica. Nossos servidores estão muito mais expostos, sem dúvida”, afirmou Rodney Miranda, secretário de Segurança do Goiás que lidera movimento contra plano que prioriza detentos.
Facebook Twitter Email